Como escolher um saco de dormir perfeito

Spoiler: ele não existe!



Calma! Eu explico...

Quando começamos a montar o nosso kit de acampamento, uma das grandes dúvidas que surgem é quais equipamentos comprar.
Neste artigo falaremos de um dos itens mais críticos do sistema de dormir e que merece a maior atenção possível, já que além de conforto também pode ser considerado como um item de segurança.

Estou falando do saco de dormir, que muitas vezes é negligenciado por iniciantes que, por falta de conhecimento, acaba “comprando qualquer um” e só percebe a besteira que fez quando enfrenta o primeiro perrengue no meio da madrugada.

Neste texto vamos detalhar os principais aspectos a se levar em consideração antes de comprar o seu saco de dormir.

Vamos lá?

O formato

Existem basicamente três formatos de sacos de dormir disponíveis no mercado. Mais a baixo vamos detalhar cada um deles, mas resumidamente são os com formato de sarcófago, mais largos na parte dos ombros e estreitos nos pés, os retangulares e os de formato misto, que mesclam alguns elementos dos sarcófagos, como o capuz e outros dos retangulares, como maior espaço para as pernas.

Sarcófago

Devido ao seu formato mais esguio, acompanhando as curvas do corpo, este tipo de saco de dormir fica mais justo, garantindo uma retenção de calor muito maior do que os outros tipos.
Esta característica faz com que estes sacos sejam os mais indicados para regiões de frio intenso, como alta montanha e ambientes nevados.

O formato deste saco pode incomodar um pouco se você for uma pessoa que costuma se mexer muito durante a noite, uma vez que ele fica bem justo, sendo até um pouco claustrofóbico para alguns.

Retangular

Os sacos retangulares, por sua vez, entregam um espaço muito maior para as pernas e, por isso, não possuem uma retenção de calor tão eficiente quanto a dos sarcófagos, já que não ficam tão próximos ao corpo.
Por este motivo acabam sendo muito utilizados para acampamentos em locais mais quentes, como praias por exemplo.

Misto

Numa tentativa do mercado de alcançar àquelas pessoas que não se adaptam com os estreitos sarcófagos, mas que precisam de algo mais robusto do que os sacos retangulares, surgem os sacos de formato misto.
Estes sacos mesclam elementos dos dois modelos anteriores, entregando um espaço maior para as pernas e um capuz que fecha completamente, isolando o usuário do ambiente externo, garantindo assim uma maior retenção de calor em relação aos sacos retangulares.

Enchimento

Os sacos podem ser preenchidos com plumas de ganso ou fibras sintéticas. Este último sendo ainda subdividido entre Hollofill (a mais comum), Polar Guard (mais durável e menos confortável) e Prima Loft (Espécie de Polar Guard mais flexível).

Você está falando de plumas, fibras sintéticas... Mas afinal de contas, como funciona um saco de dormir?

Tanto as fibras sintéticas quanto as plumas servem para armazenar ar entre o seu corpo e o ambiente externo. Esta camada de ar age como um isolante térmico, impedindo que o calor gerado pelo seu corpo seja dissipado para o ambiente.



Os sacos de plumas de ganso são mais leves e possuem uma capacidade de compactação maior sem perder sua eficiência.
Devido à sua alta capacidade de retenção de calor, são os mais indicados para aventuras em lugares extremos, com temperaturas muito baixas.

O ponto negativo desses sacos é sua baixa tolerância à umidade, podendo até mesmo ser inutilizado se lavado ou guardado de forma inadequada.

Outro ponto a ser citado é que estes sacos, por serem mais técnicos, possuem um preço muito mais alto em relação aos de fibra sintética.

Se você está pensando em comprar um desses sacos, tente encontrar nas especificações do modelo a origem das plumas utilizadas. Estudos mostram que quanto mais frio o ambiente onde os gansos são criados, mais volumosas são as plumas, o que garante um conforto térmico muito superior.
Resumindo: gansos criados no norte da Europa produzem uma pluma mais volumosa do que gansos criados na china, por exemplo.

Mas então os sacos de fibra sintética, são ruins?

Muito pelo contrário! Existem enchimentos sintéticos de excelente qualidade no mercado.

Esses forros consistem em fibras ocas, que armazenam o ar em seu interior, gerando o mesmo efeito isolante que as plumas.

A desvantagem desses sacos é que seu volume é um pouco maior que os de plumas e, consequentemente, seu peso também. Isso pode ser um incomodo para pessoas que buscam equipamentos minimalistas e mais técnicos.

Tá! Mas e aí? Como eu sei qual dos dois escolher?

A resposta, como sempre, é a mais clichê de todas: depende!

Já analisamos o formato e o tipo de enchimento, agora precisamos saber quais as faixas de temperatura que estes sacos suportam e qual a faixa de temperatura que iremos enfrentar no nosso acampamento.

Faixas de temperatura

Eu vi um saco esses dias que estava escrito temperatura de conforto e temperatura extrema. O que é isso?”

Os melhores fabricantes costumam incluir em suas especificações as marcações de temperatura de conforto, temperatura limite e temperatura extrema, baseados na antiga norma europeia EN13537, e na atual ISO23537-1:2016.

Temperatura de conforto é a temperatura em que uma “mulher adulta normal” dormirá confortavelmente, sem sentir frio.

Temperatura limite seria a temperatura em que um “homem adulto normal” dormirá confortavelmente, sem sentir frio.

Temperatura limite, é a temperatura em que o fabricante atesta que uma “mulher adulta normal” conseguirá sobreviver por até seis horas, sentindo muito frio, porém sem que seu corpo entre em hipotermia.

ATENÇÃO! Nunca escolha o seu saco pela temperatura extrema! Isso poderá te colocar em risco, podendo até mesmo resultar em morte.
A temperatura de conforto SEMPRE deve prevalecer na hora de escolher o seu saco de dormir.

Coloquei as palavras “mulher normal” e “homem normal” entre aspas pois se referem à norma europeia que considera como mulher normal uma adulta de vinte e cinco anos de idade, 1,60m de altura e pesando sessenta quilos, e um homem normal sendo um indivíduo também de vinte e cinco anos de idade, 1,73m de altura e pesando setenta e três quilos.
Pense que esses dados devem ser adaptados para a sua realidade e fisiologia.

Escolhendo o saco ideal

Agora que já conhecemos as tecnologias aplicadas, formatos e temperaturas de conforto, chegou a hora de escolher o melhor modelo.

Adivinha qual é o melhor de todos...

Novamente, depende!

Não existe no mercado um modelo que prevaleça sobre todas as faixas de temperatura possíveis.
O ideal é que você tenha um saco para cada faixa e vá revezando o uso conforme os lugares em que for acampar.

Você pode, por exemplo, ter um saco retangular para acampamentos em praias e lugares tropicais, um misto para serras com temperaturas mais amenas, mas que não atinja temperaturas negativas e um ou mais sarcófagos de plumas para temperaturas a baixo de zero.

Uma coisa é certa: nunca, em hipótese alguma, saia de casa sem saber a temperatura média do local onde vai acampar.
Uma pesquisa rápida na internet ou em aplicativos de previsão do tempo são imprescindíveis para que você tenha um passeio divertido e seguro.

Vou deixar o link de alguns sacos que já usamos, e em várias faixas de temperatura, para te auxiliar na escolha do seu saco ideal, aqui na aba RECOMENDAÇÕES.


Obrigado por ler até aqui. Se ficou com alguma dúvida ou queira contribuir com alguma informação, deixe um comentário no post ou nos envie um e-mail. Teremos o maior prazer em te responder.

E se gostou do texto ou se te ajudou de alguma maneira, compartilhe com os amigos, inscreva-se no blog para receber os próximos artigos em primeira mão e nos siga também no Instagram.

Um forte abraço e até a próxima!

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Quando o horizontal deixa de ser desafiante, o único caminho é para cima!

Como praticar trekking na chuva...

Queimadas e desmatamento: nossa existência está em risco!