Viajo, logo existo... mas não para por ai!

Viajo, logo existo... mas não para por ai!


Viajar, segundo definição: sair de um lugar para outro. Prática que acompanha a humanidade desde os tempos em que éramos nômades e nos deslocávamos para sobrevivência em busca de alimento.

Com a descoberta do fogo e início da agricultura de subsistência, o foco em viajar passou a ser econômico, troca e posterior venda de produtos, começou a era mercantil, dos cacheiros viajantes.

"Viajo, logo existo! Aprendo, me desenvolvo, cresço e deixo minha marca nesse mundo."

O avanço nos meios de transportou permitiu que viagens de longas distancias fossem mais fáceis. E dai vem “descoberta de novos continentes”, cruzadas, imigração e o início de toda essa movimentação.

A globalização só acelerou ainda mais esse processo de viagens e foi dando cada vez mais força ao turismo, que apesar de já existir há algum tempo, foi tornando-se mais democratizado com o passar dos séculos.

"[...] para viajar não há espaço para preconceitos."

Pessoas buscando conhecer novos lugares, história, arquitetura, culinária, música, enfim novas culturas. As possibilidades tornaram-se ilimitadas.... intercambio, viagens de férias, expatriação, Disney, ecoturismo, day use, cruise line e por aí vai. A última novidade foi a corrida para o turismo ao espaço, Bezos, Musk, Branson, sendo que esse último foi o que deu o pontapé inicial com a primeira viagem.

A pandemia do COVID19 freou um pouco os viajantes, fronteiras foram fechadas e a válvula de escape foi, não menos importante, o turismo local ou de curta distância. Digo não menos importante, pois para viajar não há espaço para preconceitos.

Viajar é uma experiência, não um julgamento. Seja um mochilão ou um hotel 5 estrelas, uma viagem low cost ou all incluse, todos sem exceção, proporcionam aprendizado. 

No livro Por que os generalistas vencem em um mundo de especialistas, David Epstein pontua que os profissionais mais valorizados e bem sucedidos são aqueles que pensam fora da caixa e trazem soluções por meio de conexão de ideias não diretamente correlatas. E essas ideias vem de um repertorio vasto e de uma experimentação em diferentes ambientes. Viajo, logo existo! Aprendo, me desenvolvo, cresço e deixo minha marca nesse mundo.

A Elisa Eroles é engenheira civil, profissional da logística e amante de viagens e festas.

Sigam ela nas redes sociais e acompanhem as aventuras dessa viajante pelo mundo.

@elisa_eroles no instagram

@elisaeroles no facebook  


Se gostou do texto ou se te ajudou de alguma maneira, compartilhe com os amigos e nos siga também no Instagrampara acompanhar as nossas novidades em primeira mão.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Quando o horizontal deixa de ser desafiante, o único caminho é para cima!

Como praticar trekking na chuva...

Queimadas e desmatamento: nossa existência está em risco!